Preço da gasolina no Brasil é o mais alto desde maio de 2004

A ANP monitora os valores de revenda do combustível nos postos do país semanalmente. Número médio se aproximou em agosto da marca de R$ 6 por litro, a maior da série histórica

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Gráfico de linha mostrando a evolução do preço médio de revenda por litro de gasolina, entre maio de 2004 e agosto de 2021

    O preço da gasolina vendida nos postos do Brasil atingiu o maior valor já registrado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), que monitora semanalmente os preços, desde maio de 2004. Em agosto de 2021, a gasolina fechou sendo vendida a R$5,98 por litro, em média, no país.

    O valor é o mais alto da série histórica tanto em termos de preço na bomba (valor nominal pago pelo consumidor), como também de preço ajustado pela inflação do período. A análise ao longo do tempo dos valores reais, ou seja, corrigidos pela inflação, é a mais apropriada para efeitos de comparação.

    A alta dos preços da gasolina reflete a política da Petrobras, adotada desde o governo de Michel Temer (MDB), de atrelar o preço dos combustíveis no Brasil aos valores praticados no mercado internacional. Em 2021, puxam o aumento a desvalorização do real perante o dólar e o preço do petróleo no mercado externo.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.