União Brasil confirma candidatura de Soraya à Presidência

Partido tem a maior fatia do fundo eleitoral e mais tempo de TV. Anúncio ocorre após desistência de Bivar na disputa. Vice será o economista Marcos Cintra

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O União Brasil oficializou nesta sexta-feira (5), na convenção nacional do partido realizada em São Paulo, a escolha da advogada Soraya Thronicke como candidata à Presidência da República. Senadora pelo Mato Grosso do Sul, Soraya substituirá o deputado Luciano Bivar (PE), presidente do partido, na corrida eleitoral deste ano. Seu nome foi anunciado como pré-candidata na terça-feira (2). Até a semana passada, ele era o nome da sigla para disputar o cargo, mas desistiu e deve disputar um novo mandato para a Câmara. A desistência ocorreu após várias tentativas de articular um acordo para apoiar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ainda no primeiro turno.

    O economista Marcos Cintra foi escolhido para ser o vice na chapa de Soraya. Segundo apurou o portal G1, o candidato aceitou o convite após telefonema de Bivar, na quinta-feira (4). Cintra estava nos Estados Unidos e voltou de última hora para participar da convenção do partido. "Vim para essa missão, uma missão espinhosa. Cheguei em Miami de manhã, o Bivar me ligou fazendo o convite e às oito da noite peguei um voo de volta. E aqui estou", afirmou em entrevista ao portal.

    O atual governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), também esteve na convenção. Aliado local do União Brasil, o tucano tem como vice em sua chapa Geninho Zuliani (União Brasil). Ele aproveitou para distribuir seu material de campanha.

    Outros quadros do partido também Participaram da convenção, como o ex-juiz e candidato ao Senado pelo Paraná Sergio Moro; a esposa dele, Rosângela Moro, candidata a deputada federal por São Paulo; o vereador por São Paulo Milton Leite; o ex-secretário de Saúde de São Paulo Edson Aparecido; e o ex-governador do Rio Grande do Norte Agripino Maia.

    Soraya é Thronicke senadora de primeiro mandato. Foi eleita em 2018, surfando na onda antipetista, e ainda tem mais quatro anos a cumprir no Senado. Advogada e empresária, foi eleita pelo PSL, então partido do presidente Jair Bolsonaro. Após o PSL se fundir ao Democratas, criando o União Brasil, parlamentares mais alinhados a Bolsonaro deixaram a legenda para se juntarem ao presidente no PL. A senadora, no entanto, preferiu continuar no partido, em um gesto que foi interpretado como de demonstração de fidelidade a Bivar.

    Esta será a primeira eleição do União Brasil. O partido hoje detém a maior fatia do fundo eleitoral e mais tempo de TV. A sigla tem a terceira maior bancada na Câmara dos Deputados e o maior volume de recursos dos fundos eleitoral e partidário disponíveis para as eleições de 2022. Na última disputa presidencial, o PSL lançou a candidatura de Bolsonaro para a Presidência, enquanto o DEM ficou neutro na disputa. Na época, Bivar era presidente do PSL, mas depois rompeu com Bolsonaro.

    ESTAVA ERRADO: A versão anterior deste texto dizia que o União tinha resultado da fusão do PL com o Democratas. Na verdade, a fusão foi entre PSL e Democratas. A informação foi corrigida às 17h do dia 9 de agosto de 2022.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.