Humorista Jô Soares morre aos 84 anos em São Paulo

Um dos maiores nomes da comédia brasileira, ele estava internado desde o fim de julho para tratar de uma pneumonia. Causa da morte não foi divulgada

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O humorista, apresentador e multiartista Jô Soares morreu nesta sexta-feira (4), aos 84 anos, em São Paulo. Ele estava internado desde o fim de julho no Hospital Sírio-Libanês, na região central da cidade, para tratar de uma pneumonia. A morte foi confirmada pelo hospital e pela ex-esposa do artista, Flávia Pedra. A causa do óbito não foi informada. De acordo com Flávia, o funeral será restrito para família e amigos. A data e o local ainda não foram divulgados.

    "Viva você, meu Bitiko, Bolota, Miudeza, Bichinho, Porcaria, Gorducho. Você é orgulho pra todo mundo que compartilhou de alguma forma a vida com você. Agradeço aos senhores Tempo e Espaço, por terem me dado a sorte de deixar nossas vidas se cruzarem", declarou Flávia em seu perfil no Instagram.

    Outras personalidades também lamentaram a morte do humorista. A apresentadora Ana Maria Braga disse, em sua conta no Twitter, que teve a honra de conhecer e conviver com Jô. "Hoje o dia amanheceu mais sem graça. Vá em paz meu amigo", escreveu. A cantora Zélia Duncan, também em seu perfil no Twitter, afirmou que o Brasil perdeu um artista único. "Um comediante que amava seu ofício acima de tudo, um ator fora de série. Um entrevistador brilhante. Um cidadão que amava seu país e seus amigos. Jô Soares, obrigada por tanto!", declarou.

    José Eugênio Soares nasceu em 16 de janeiro de 1938. Ao longo de sua vida, Jô desenvolveu diversas expressões artísticas. Ele foi ator, escritor, dramaturgo, roteirista, diretor e pintor. O humor, no entanto, sempre foi a característica que uniu suas obras, um traço que ele sempre fez questão de frisar. Em um depoimento ao site Memória Globo, Jô afirmou que "tudo o que fiz, tudo o que faço, sempre tem como base o humor. Desde que nasci, desde sempre".

    Um dos seus trabalhos mais icônicos foi o Programa do Jô, veiculado na TV Globo de 2000 a 2016. Antes, entre 1988 e 1999, Jô tinha protagonizado o talk show Jô Soares Onze e Meia, exibido no SBT. Em seus programas de entrevistas, Jô recebia as mais diversas personalidades, de presidentes da República a anônimos cujas histórias soavam curiosas. Jô também participou de outras atrações de TV que fizeram história, como “A família Trapo” (1966), “Planeta dos homens” (1977) e “Viva o Gordo” (1981). Ele também escreveu livros, participou de peças teatrais e atuou em 22 filmes.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.