Piquet pede desculpas por fala racista contra Hamilton

Gesto vem depois de repercussão negativa do caso. Apesar da escusa, o brasileiro minimizou a utilização do termo ‘neguinho’ para se referir ao inglês

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Temas

    O ex-piloto Nelson Piquet pediu desculpas, nesta quarta-feira (29), pela fala racista dirigida ao piloto Lewis Hamilton durante uma entrevista concedida ao jornalista Ricardo Oliveira em novembro de 2021. Apesar do pedido, Piquet minimizou a gravidade da utilização do termo “neguinho”. O gesto do brasileiro aconteceu após a repercussão negativa do caso ao longo desta semana.

    “Peço desculpas de todo o coração a todos que foram afetados, incluindo Lewis, que é um piloto incrível, mas a tradução em algumas mídias que agora circulam nas redes sociais não está correta. A discriminação não tem lugar na F1 ou na sociedade e estou feliz em esclarecer meus pensamentos a esse respeito”, disse Piquet em nota.

    No comunicado enviado à imprensa, o ex-piloto minimizou a gravidade da utilização do termo “neguinho”. “O que eu disse foi mal pensado, e não defendo isso, mas vou esclarecer que o termo usado é aquele que tem sido amplamente e historicamente usado coloquialmente no português brasileiro como sinônimo de 'cara' ou 'pessoa' e foi nunca teve a intenção de ofender”, argumentou. Ele escreveu ainda que condena veementemente qualquer sugestão de que a palavra tenha sido usada por mim com o objetivo de menosprezar um piloto por causa de sua cor de pele”.

    A fala racista foi proferida por Piquet quando ele comparava um acidente entre Hamilton e seu genro, Max Verstappen, piloto da Red Bull, ocorrido em setembro de 2021, com uma batida entre Ayrton Senna e Alain Prost em 1990.

    “O neguinho [Lewis Hamilton] meteu o carro e não deixou [desviar]. O Senna não fez isso. O Senna saiu reto. O neguinho meteu o carro e não deixou [Verstappen desviar]. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro [Verstappen] se fodeu. Fez uma puta sacanagem”, declarou o brasileiro, detentor de três títulos mundiais de F1.

    Na terça-feira (28), a F1, a FIA, a Mercedes e o próprio Hamilton se posicionaram contra as falas de Piquet. “Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte”, escreveu o piloto inglês em uma postagem no Twitter.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.