Autor de ‘Pingos de amor’, Paulo Diniz morre aos 82 anos

Cantor e compositor faleceu de causas naturais em sua residência, em Boa Viagem, no Recife. Músico fez sucesso principalmente na década de 70

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Temas

    O cantor e compositor pernambucano Paulo Diniz, de 82 anos, morreu de causas naturais na manhã desta quarta-feira (22), em sua casa, no bairro de Boa Viagem, na zona sul do Recife. Diniz estava afastado dos palcos há pelo menos duas décadas. O artista tinha 56 anos de carreira e alcançou projeção nacional principalmente na década de 1970, quando morava no Rio de Janeiro. Foi nessa mesma época em que ele compôs e lançou algumas de suas canções mais conhecidas, como Pingos de amor e Bahia comigo”.

    De acordo com a produção do músico, a morte ocorreu por volta das 7h. O velório e o enterro de Diniz estão previstos para acontecer na quinta-feira (23), às 22h, em local não divulgado e restrito a amigos e familiares.

    Seu maior sucesso, Pingos de amor, foi escrito em parceria com Odibar, compositor que era um grande parceiro de carreira. A canção foi lançada em 1971 e chegou a ser regravada por diversos artistas da MPB. Com Odibar, Diniz também compôs Canoeiro, Um chopp pra distrair, Ponha um arco-íris na sua moringa e Quero voltar pra Bahia.

    Paulo Lira de Oliveira, seu nome de batismo, nasceu em 24 de janeiro de 1940, em Pesqueira, um município do Agreste de Pernambuco. Nos anos 1960, se mudou para o Rio de Janeiro com o objetivo de trabalhar como locutor de rádio. O artista deixa uma filha e duas enteadas, além da esposa. O casal tinha três netos e dois bisnetos.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.