Governo do Texas diz que polícia falhou em massacre em escola

Responsável pelo departamento estadual de segurança afirma que os agentes deviam ter entrado atirando. Pais reclamam de inação

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O diretor do Departamento de Segurança Pública do Estado do Texas, coronel Steven McCraw, disse nesta sexta-feira (27) que a polícia errou em não ter entrado logo na escola de ensino fundamental da cidade de Uvalde, onde, nesta terça-feira (24), um homem matou 19 crianças e 2 adultos a tiros.

    A decisão foi feita na cena do crime. Claro que foi uma decisão errada, não há desculpa para isso, disse o coronel. Os policiais que atenderam a ocorrência esperaram que o zelador da Robb Elementary School trouxesse uma chave, em vez de arrombar as portas. Eles também tomaram a decisão de esperar no corredor da escola pela chegada de uma equipe tática.

    A equipe envolvida na ocorrência, composta por 19 policiais, chegou ao local dos disparos uma hora depois de o atirador ter chegado. Eles justificam a inação dizendo que, naquele momento, o agressor tinha parado de atirar e estava dentro da sala de aula, atrás de uma barricada improvisada.

    De acordo com informações do diretor do Departamento de Segurança Pública do Estado do Texas, dada a jornalistas durante entrevista coletiva, nesta sexta-feira (27), em Uvalde, mais de cem disparos foram efetuados contra as crianças, dentro da escola, durante o ataque.

    Os pais dos alunos vêm protestando contra o que eles consideram uma atitude negligente da polícia local. O FBI, equivalente à Polícia Federal, nos EUA, abriu uma investigação para apurar o ocorrido.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.