Inflação vai a 10,54% em 12 meses e é a maior para fevereiro em 7 anos

Educação e alimentação contribuíram para alta de 1,01% no mês, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    A inflação registrou alta de 1,01% em fevereiro de 2022. É a maior variação para o mês desde 2015. Os dados são do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado nesta sexta-feira (11) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

    O avanço, acima das expectativas do mercado, representa uma aceleração em relação a janeiro, quando a inflação foi de 0,54%. Até fevereiro, o IPCA chegou a 10,54% no acumulado de 12 meses. Na divulgação anterior, até janeiro, o avanço nesse mesmo período havia sido de 10,38%.

    Os principais impactos para o índice de fevereiro vieram da educação (5,61%), com o início do ano letivo, e do setor de alimentação e bebidas (1,28%), que registra altas sucessivas desde janeiro de 2020 (com exceção de novembro de 2021). Em 12 meses, o segmento acumula alta de 9,12%.

    Nos últimos 12 meses, o segmento que mais pesou na alta da inflação foi o de combustíveis, que acumulou avanço de 33,33% nesse período. Em fevereiro, esse item teve queda de 0,92%, por conta de recuos no preço da gasolina. Por outro lado, houve alta nos preços do óleo diesel.

    A inflação de fevereiro praticamente não captou os efeitos da guerra entre Rússia e Ucrânia. Com o conflito, o preço de commodities agrícolas e do petróleo dispararam no mercado internacional. Em razão disso, a Petrobras anunciou na quinta-feira (10) um forte aumento do preço dos combustíveis nas refinarias. A decisão deve atingir a inflação a partir de março.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.