Anvisa autoriza venda de autotestes de covid-19 no Brasil

Produto não ficará disponível de imediato, e fabricantes terão de solicitar registro junto ao órgão, que deve avaliar caso a caso. Exames são considerados medida adicional no controle da pandemia

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou em votação unânime o uso e a comercialização de autotestes para detecção de covid-19 no Brasil. A decisão aconteceu nesta sexta-feira (28), após o recebimento e análise de informações complementares solicitadas ao Ministério da Saúde no dia 19 de janeiro a respeito da política pública de testagens no país.

    Os testes não estarão disponíveis no mercado de imediato. Cada fabricante deverá solicitar o registro do produto juntamente à Anvisa, que vai analisar a documentação apresentada e decidir caso a caso quanto à aprovação. O órgão espera ter os primeiros autotestes autorizados em fevereiro.

    Resultados positivos de autotestes não serão considerados, por si só, como casos confirmados de covid-19 na contagem oficial do país. A Anvisa orienta pacientes a procurarem unidades de saúde para que um profissional realize a confirmação do diagnóstico e a notificação do caso ao poder público. Dessa forma, os testes feitos em casa também não valerão para conseguir atestado médico ou realizar viagens que demandem apresentação de resultado negativo.

    Para Cristiane Rose Jourdan Gomes, relatora da decisão da Anvisa, os autotestes representam uma estratégia de triagem e medida adicional no controle da pandemia”, num momento de falta de testes nas farmácias em decorrência da explosão de casos causada pela variante ômicron do coronavírus. O Ministério da Saúde se comprometeu a incluir orientações sobre esse tipo de testagem em uma atualização do Plano Nacional de Expansão de Testagem para Covid-19, que deve ser divulgada ainda nesta sexta-feira (28).

    Os autotestes de covid-19 são amplamente utilizados em países como o Reino Unido, Alemanha e EUA. Eles usam a mesma tecnologia do teste de antígeno, que, no Brasil, é realizado em farmácias. A coleta de amostra é feita com swab nasal (uma espécie de cotonete). No caso do autoteste, é a pessoa quem realiza a coleta em si mesma, seguindo as instruções de uso da embalagem, que também traz informações sobre reagentes. O resultado costuma sair em cerca de 15 minutos, com eficácia estimada em 85% – considerada alta.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.