Ataque a tiros em universidade na Alemanha deixa 4 feridos

Atirador abriu fogo em sala de aula e suicidou-se na sequência. Investigadores descartam razões políticas ou religiosas para o atentado

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    A Universidade de Heidelberg, uma das instituições públicas mais prestigiadas da Alemanha, foi alvo de um ataque a tiros nesta segunda-feira (24). Um atirador abriu fogo em uma das salas de aula da universidade e suicidou-se na sequência. Segundo informações da polícia alemã, ele agiu sozinho e usou uma arma de cano longo.

    Quatro pessoas ficaram feridas e estão em estado grave. Segundo o jornal alemão Bild, o autor era estudante da universidade. Investigadores descartaram motivações políticas ou religiosas para o atentado. Vários agentes estão trabalhando no local e os alunos foram orientados a não circular pelo campus.

    O prefeito de Heidelberg, Eckart Würzner, lamentou o crime. Hoje é um dia terrível para todos nós, disse em uma rede social. Würzner pediu ainda que as pessoas sigam as instruções da polícia e não espalhem boatos sobre o caso.

    A Alemanha tem uma das leis sobre armas mais restritas da Europa. A Lei de Armas de 2002 segue as as Diretrizes Europeias para Armas de Fogo, que estabelece os padrões na União Europeia para a posse e o porte de armamento de civis. Menores de 25 anos, por exemplo, são submetidos a exames psiquiátricos antes de solicitar o porte.

    A lei alemã se tornou mais severa depois que ataques de atiradores ocorreram em escolas nas cidades de Freising e Efurt, em 2002. O primeiro ataque foi realizado por um ex-aluno expulso da escola, que atirou em três pessoas e se suicidou. Já o atentado em Erfurt deixou 17 mortos, entre eles o atirador.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.