Vendas no varejo cresceram 0,6% em novembro, aponta IBGE

Resultado positivo foi puxado por setor de supermercados e produtos alimentícios, que fez promoções durante tradicional temporada de descontos. Outros ramos tiveram taxas negativas

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O volume de vendas do comércio varejista brasileiro cresceu 0,6% em novembro de 2021, na comparação com outubro, superando a expectativa de analistas do mercado, que esperavam uma estagnação no período. O dado foi divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (14).

    O resultado positivo foi puxado pelo desempenho do segmento de hipermercados, supermercados, bebidas, fumo e produtos alimentícios em geral. Nesse grupo, a alta foi de 0,9%.

    Apesar do crescimento concentrado nesse setor, a predominância foi de taxas negativas em cinco de outros oito ramos pesquisados pelo IBGE.

    O resultado mostra que a tradicional temporada de descontos que acontece no Brasil em todo mês de novembro teve efeito positivo apenas nesse nicho dos alimentos. Os demais setores, incluindo a venda de produtos de maior valor, como eletrodomésticos, tiveram poucas vendas.

    Na comparação de novembro de 2021 com novembro de 2020, o varejo teve queda de 4,2%. Embora o resultado seja negativo, ele é melhor do que a expectativa dos analistas, que apostavam em retração de 5,7%. No acumulado de 2021, o comércio teve avanço de 1,9%. No acumulado de 12 meses, esse avanço também está em 1,9%.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.