Em evento simbólico, São Paulo vacina 1ª criança contra covid

Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos, inaugura vacinação infantil no Brasil. Campanha de imunização no estado começa na prática na segunda-feira (17)

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Em evento com a presença do governador paulista João Doria (PSDB), pré-candidato à Presidência, oito crianças foram vacinadas contra a covid-19 nesta sexta-feira (14) na capital do estado, dentro do Hospital das Clínicas. A campanha de imunização para as pessoas de 5 a 11 anos começa oficialmente em São Paulo na segunda-feira (17).

    A primeira criança vacinada foi Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos. Indígena da etnia Xavante, ele passa por tratamento médico no Hospital das Clínicas em razão de uma doença motora rara. “Estou muito feliz pelo Davi ter tomado a primeira dose, ser um exemplo para a criançada de 5 a 11 anos”, disse o pai do menino, Cacique Jurandir, que mora no Mato Grosso. Outras sete crianças com comorbidades foram vacinadas no evento depois de Davi.

    A vacinação de crianças de 5 a 11 anos com a dose pediátrica da Pfizer foi autorizada pela Anvisa em 16 de dezembro. O governo Bolsonaro, porém, só liberou a campanha para esse público no dia 5 de janeiro, após uma série de medidas que foram vistas por especialistas como vetores de atraso desnecessário da vacinação. As primeiras 1,2 milhão de doses infantis encomendadas pelo Ministério da Saúde chegaram ao Brasil na madrugada de quinta-feira (13).

    A distribuição dos produtos pelos estados será proporcional ao tamanho da população de crianças de cada unidade federativa. Além de São Paulo, outras capitais já têm data para o início da campanha de vacinação infantil. São elas:

    • 14 de janeiro: Salvador e Rio Branco
    • 15 de janeiro: Florianópolis e Campo Grande
    • 16 de janeiro: Belo Horizonte e Brasília
    • 17 de janeiro: São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia e Porto Velho
    • 19 de janeiro: Porto Alegre

    Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil receberá da Pfizer em janeiro 4,3 milhões de doses de vacina para crianças entre 5 e 11 anos. Em fevereiro, 7,2 milhões e, em março, 8,4 milhões. Para completar a vacinação infantil, de duas doses, o país precisa de pouco mais de 40 milhões de doses.

    Em 2021, foi São Paulo também que, à frente do governo federal, inaugurou em 17 de janeiro a vacinação de adultos no Brasil, minutos depois de a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ter autorizado a aplicação emergencial da vacina Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, vinculado ao governo paulista. O evento também teve Doria como apresentador, num contexto de grande disputa entre o governador e o presidente Jair Bolsonaro (PL), que sempre colocou obstáculos à vacinação da população brasileira. A primeira adulta vacinada foi a enfermeira Mônica Calazans, que agora deve concorrer a deputada federal em 2022 pelo MDB.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.