3 a cada 4 chacinas no Rio em 2021 ocorreram em ações policiais

Massacres passaram de 44 em 2020 para 61 no ano seguinte, segundo relatório. Decisão do Supremo tomada nos primeiros meses da pandemia permite operações em comunidades apenas em casos excepcionais

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Relatório do Instituto Fogo Cruzado publicado nesta quarta-feira (12) aponta que 61 chacinas ocorreram na região metropolitana do Rio de Janeiro em 2021. Três em cada quatro delas foram decorrentes de operações policiais. Em comparação com o ano anterior, que teve 44 chacinas, o total de casos aumentou.

    A quantidade de chacinas cresceu apesar da decisão do Supremo Tribunal Federal que restringe operações policiais em comunidades durante a pandemia. A determinação está em vigor desde 2020. Segundo o STF, ações desse tipo só podem ocorrer em “hipóteses absolutamente excepcionais” e com emprego de medidas de contenção de danos para a população e os serviços essenciais de saúde.

    Chacinas são episódios que envolvem o assassinato de três ou mais civis, na definição do Instituto Fogo Cruzado. Entre as que ocorreram em 2021, está a do Jacarezinho, considerada a operação policial mais letal da história do Rio de Janeiro. Comandada em maio pela Polícia Civil, a ação na comunidade da zona norte carioca resultou em 28 mortes, uma delas de um policial.

    255

    civis foram mortos em chacinas na região metropolitana do Rio de Janeiro em 2021, segundo relatório do Instituto Fogo Cruzado

    A publicação do Instituto Fogo Cruzado aponta que 4.653 tiroteios aconteceram o Grande Rio em 2021 — uma média de 13 diários. Além disso, 2.098 pessoas foram baleadas — 1.400 delas em ações policiais, o restante em outros conflitos , 1.084 foram mortas e 1.014 ficaram feridas. Dezessete crianças e 43 adolescentes estão entre os baleados.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.