‘O avesso da pele’ e infantil ‘Sagatrissuinorana’ vencem Jabuti

Obra de Jeferson Tenório foi eleita o melhor romance literário de 2021, e livro do ano ficou com título para crianças escrito por João Luiz Guimarães e Nelson Cruz

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Temas

    Os vencedores da edição 2021 do Prêmio Jabuti, o mais importante troféu anual da literatura brasileira, foram anunciados na noite de quinta-feira (25). O escritor carioca Jeferson Tenório, radicado no Rio Grande do Sul, ganhou na categoria de romance literário com “O avesso da pele” (Companhia das Letras). O livro, que aborda questões raciais e violência, é narrado por Pedro, que tem o o pai, um professor negro, assassinado pela polícia.

    O prêmio de livro do ano foi para “Sagatrissuinorana” (ÔZé Editora), de João Luiz Guimarães e Nelson Cruz, que também foi eleito o melhor livro infantil. Dedicado à memória de vítimas das tragédias de Mariana e Brumadinho, a obra traz uma mensagem de conscientização ambiental.

    O Jabuti possui 20 categorias divididas em quatro eixos — literatura, não-ficção, produção editorial e inovação. No eixo da literatura, venceram na categoria de conto o livro “Flor de gume” (Jandaíra), de Monique Malcher, e na categoria de crônica o título “Histórias ao redor” (Cousa), de Flávio Carneiro.

    O troféu de melhor romance de entretenimento foi para “Corpos secos” (Alfaguara), que narra a história de sobreviventes de uma doença que devasta o Brasil e foi escrito em conjunto por Marcelo Ferroni, Luisa Geisler, Natalia Borges Polesso e Samir Machado de Machado. Na categoria de poesia, o prêmio foi póstumo. A poeta e artista visual Maria Lúcia Alvim, que morreu de covid-19 aos 88 anos em fevereiro de 2021, venceu com a coletânea “Batendo pasto” (Relicário).

    Entre os títulos de não-ficção, “A república das milícias: dos esquadrões da morte à era Bolsonaro” (Todavia) deu ao jornalista e pesquisador Bruno Paes Manso o troféu na categoria de biografia, documentário e reportagem, enquanto a microbiologista Natalia Pasternak e o jornalista Carlos Orsi venceram na categoria Ciências com “Ciência no cotidiano: viva a razão. Abaixo a ignorância!” (Contexto).

    A cerimônia de premiação do 63º Prêmio Jabuti foi realizada em formato online e transmitida no YouTube pelo canal da Câmara Brasileira do Livro, que organiza o prêmio. A apresentação foi do ator Dan Stulbach e o homenageado o escritor Ignácio Loyola de Brandão. Leia abaixo a lista completa dos vencedores:

    Literatura

    CONTO

    “Flor de gume” (Jandaíra), de Monique Malcher

    CRÔNICA

    “Histórias ao redor” (Cousa), de Flávio Carneiro

    HISTÓRIAS EM QUADRINHOS

    Meta: Depto. de Crimes Metalinguísticos” (Zarabatana Books), de André Freitas, Dayvison Manes, Marcelo Saravá e Omar Viñole

    INFANTIL e livro do ano

    “Sagatrissuinorana” (ÔZé Editora), de João Luiz Guimarães e Nelson Cruz

    JUVENIL

    “Amigas que se encontraram na história” (Quintal Edições), de Amma e Angélica Kalil

    POESIA

    Batendo pasto” (Relicário), de Maria Lúcia Alvim

    ROMANCE DE ENTRETENIMENTO

    Corpos secos” (Alfaguara), de Luisa Geisler, Marcelo Ferroni, Natalia Borges Polesso e Samir Machado de Machado

    ROMANCE LITERÁRIO

    O avesso da pele” (Companhia das Letras), de Jeferson Tenório

    Não ficção

    ARTES

    “Atlas fotográfico da cidade de São Paulo e arredores” (AYO), de Tuca Vieira, Guilherme Wisnik, Henrique Siqueira

    Biografia, Documentário e Reportagem

    “A república das milícias: dos esquadrões da morte à era Bolsonaro” (Todavia), de Bruno Paes Manso

    Ciências

    “Ciência no cotidiano: viva a razão. Abaixo a ignorância!” (Contexto), de Carlos Orsi, Natalia Pasternak

    Ciências humanas

    “Sobreviventes e guerreiras” (Planeta do Brasil), de Mary Del Priore

    Ciências Sociais

    “A razão africana: breve história do pensamento africano contemporâneo” (Todavia), de Muryatan S. Barbosa

    Economia Criativa

    “Prato firmeza preto: guia gastronômico das quebradas de SP” (Énois Inteligência Jovem), de Guilherme Petro, Jamile Santana, Milu Araujo, Amanda Rahra

    Produção editorial

    Capa

    “Sul da fronteira, oeste do sol” (Alfaguara). Capistas: Ana Paula Hentges, Gabriela Heberle, Bruno Miguell Mendes Mesquita e Sabrina Gevaerd

    Ilustração

    “Carona” (Companhia das Letrinhas). Ilustrador: Guilherme Karsten

    Projeto Gráfico

    “O médico e o monstro” (Antofágica). Responsável: Giovanna Cianelli

    Tradução

    “Divã ocidento-oriental” (Estação Liberdade). Tradutor: Daniel Martineschen

    Inovação

    Fomento à leitura

    “Slam Interescolar SP” (Emerson Alcalde). Responsável: Emerson Alcalde

    Livro Brasileiro Publicado no Exterior

    “Tupinilândia” (Editions Métailié e Todavia), de Samir Machado de Machado

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.