Filhos de Flordelis são condenados por morte de padrasto

Flávio Rodrigues, que atirou no pastor Anderson do Carmo, recebeu pena de 33 anos. Lucas Souza, que comprou a arma, foi sentenciado a sete anos. Ex-deputada está presa, aguardando julgamento sob acusação de ser mandante do crime de 2019

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Dois filhos da ex-deputada federal Flordelis foram condenados na quarta-feira (24) por envolvimento no assassinato do pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019. Ele morreu após ser atingido por mais de 30 disparos de arma de fogo na frente da sua casa.

    Flávio dos Santos Rodrigues foi condenado a 33 anos e dois meses de prisão, acusado de atirar em Anderson, seu padrasto. Lucas Cézar dos Santos Souza, por sua vez, foi condenado a sete anos e seis meses de prisão, acusado de ter comprado a arma do crime. O julgamento aconteceu no âmbito da 3ª Vara Criminal de Niterói.

    Além dos dois, outros oito réus deverão ser julgados por envolvimento no assassinato. Entre eles, está a ex-deputada Flordelis, acusada de ser a mandante do homicídio. Ela está presa preventivamente desde agosto de 2021, e responde por tentativa de homicídio, uso de documento falso, homicídio triplamente qualificado e associação criminosa armada. Ela nega os crimes – não há data marcada para o julgamento.

    Flordelis teve seu mandato cassado pela Câmara dos Deputados em agosto de 2021, sob a justificativa de quebra de decoro parlamentar. Os deputados favoráveis à cassação consideraram que a postura de Flordelis durante as investigações do assassinato do pastor Anderson acabou ferindo o Código de Ética da Câmara. Para o relator do processo, Alexandre Leite (DEM-SP), a ex-deputada usou seu cargo para coagir testemunhas e ocultar provas. Flordelis foi expulsa do PSD ainda em agosto.

    Pastora e cantora gospel no Rio de Janeiro, a ex-deputada ganhou fama nacional nos anos 90 por ter adotado mais de 50 crianças, o que lhe rendeu inclusive uma cinebiografia com a participação de famosos. Além de marido da religiosa, Anderson era presidente da Comunidade Evangélica Ministério Flordelis, na zona norte carioca. Investigadores acusam Flordelis de ter arquitetado o plano por motivações financeiras, ligadas aos negócios da família.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.