Com marca abalada, Facebook muda nome da empresa para Meta

Alteração vale para a corporação e não atinge a rede social. Intenção é enfatizar estratégia de criação de metaversos, mas também tem por trás o objetivo de reposicionar a companhia que enfrenta crise de reputação

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    A empresa Facebook agora se chama Meta. É o que anunciou nesta quinta-feira (28) o CEO e fundador Mark Zuckerberg. A alteração não atinge a rede social Facebook, que continuará com esse nome.

    Agora, os diferentes negócios da empresa – desde a rede social ex-homônima até o Instagram, o WhatsApp e os negócios dedicados a realidade aumentada e realidade virtual – estarão sob o guarda-chuva da holding controladora que ganhou o novo nome.

    A mudança é parte da estratégia de Zuckerberg de criar um metaverso, uma das principais apostas da companhia para o futuro. Metaversos são plataformas digitais que misturam realidade virtual, realidade aumentada, redes sociais e e outros ambientes da internet.

    “No momento, nossa marca está tão intimamente ligada a um produto que não pode representar tudo o que estamos fazendo hoje, muito menos no futuro”, afirmou Zuckerberg no anúncio.

    O novo nome, no entanto, tem como pano de fundo a tentativa do Facebook de reposicionar sua marca. A empresa está no centro de um escândalo global desde setembro, quando a ex-funcionária Frances Haugen vazou à imprensa documentos que mostram problemas na plataforma, que foram ignorados por razões financeiras.

    O caso se agravou depois que um consórcio de 17 veículos de imprensa de três países começou a publicar em 22 de outubro uma série de reportagens batizada de “Facebook Papers”, que expõe detalhes de como a rede social lida com privacidade, desinformação e disseminação de discurso de ódio na plataforma. O material que embasou as reportagens também foi entregue aos veículos pela ex-funcionária Frances Haugen.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.