Conecte SUS libera certificado a quem tomou vacinas diferentes

Usuários do aplicativo reclamavam da falta da funcionalidade, o que dificultava o ingresso em eventos e a comprovação da vacinação para viagens internacionais

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (22) que o Conecte SUS, aplicativo oficial do Sistema Único de Saúde, agora consegue emitir o certificado nacional de vacinação contra a covid-19 também para quem tomou imunizantes diferentes na primeira e na segunda dose.

    No início de outubro, o governo federal disse que não era possível a emissão do certificado para quem havia tomado o mix de vacinas. A falta dessa opção prejudicava quem tinha tomado a segunda dose do imunizante da Pfizer depois de receber uma primeira dose da AstraZeneca ou da Coronavac.

    A aplicação de doses de diferentes fabricantes foi uma orientação do próprio Ministério da Saúde diante da falta de vacinas da mesma marca para a segunda aplicação. Nesses casos, as pessoas só podiam recorrer ao comprovante de papel, que não é aceito por companhias aéreas para viagens ao exterior.

    O “passaporte da vacina” é exigido em estabelecimentos e eventos de pelo menos 249 cidades brasileiras. A versão digital gerada pelo Conecte SUS pode ser emitida também em inglês ou espanhol, uma exigência em viagens internacionais. Há ainda uma opção para exibir um QR Code que comprova sua autenticidade.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.