IBGE cancela processo seletivo para o Censo 2022

Concurso previa abertura de 204 mil vagas. Motivo é a não renovação do contrato com empresa organizadora, disse o órgão

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O IBGE (Instituto de Geografia e Estatística) anunciou em nota nesta segunda-feira (18) o cancelamento do processo seletivo para contratação de profissionais para o Censo 2022. O concurso previa a abertura de 204 mil vagas.

    Na nota, o órgão informa que não renovará contrato com a empresa Cebraspe, que organizaria a seleção. O acordo termina nesta segunda (18). O IBGE disse que irá divulgar em seus canais oficiais os procedimentos para devolução da taxa de inscrição aos participantes do processo seletivo e que procura uma nova empresa organizadora.

    O concurso tinha como objetivo selecionar candidatos para desempenhar as funções de recenseador, agente censitário municipal e agente censitário supervisor, responsáveis pela coordenação da coleta de dados e das equipes de recenseadores.

    Além de fazer a contagem de todos os brasileiros vivos, a pesquisa apura outras informações essenciais para o desenvolvimento de políticas públicas e orientação de investimentos. O censo deveria ter sido realizado em 2020, mas foi adiado devido à pandemia de covid-19.

    O primeiro adiamento foi para 2021, mas 90% da verba destinada ao Censo no Orçamento federal foi cortada após o presidente Jair Bolsonaro vetar em março trechos do projeto de lei sobre o tema aprovado pelo Congresso, inviabilizando a realização da pesquisa. À época, a então presidente do IBGE, Susana Guerra, pediu demissão.

    Depois do cancelamento do Censo em 2021 e de o Supremo Tribunal Federal obrigar o governo a realizar a pesquisa em 2022, houve a inclusão de R$ 2 bilhões na previsão do próximo Orçamento federal. Entretanto, o IBGE informou que ainda seriam necessários mais R$ 292 milhões. Na quinta-feira (14) o governo informou ao Supremo que vai ampliar o valor repassado ao órgão para a realização da pesquisa.

    Continue na tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.