Ator William Shatner vai ao espaço aos 90 anos: ‘É indescritível’

O ‘Capitão Kirk’ da série ‘Jornada nas Estrelas’ tornou-se a pessoa mais velha a fazer uma viagem espacial ao embarcar no segundo voo tripulado realizado pela empresa do bilionário Jeff Bezos

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O ator William Shatner, famoso por interpretar o capitão James Tiberius Kirk na série “Jornada nas Estrelas” nos anos 1960 e em filmes da franquia, tornou-se a pessoa mais velha a fazer uma viagem espacial nesta quarta-feira (13). Shatner, que completou 90 anos em março de 2021, conheceu o “início” do espaço ao embarcar na nave New Shepard, da empresa Blue Origin.

    Foi o segundo voo da companhia de turismo e exploração espacial fundada pelo bilionário Jeff Bezos, dono da Amazon. O primeiro foi em 20 de julho de 2021, com Bezos a bordo.

    Além de levar a pessoa mais velha à fronteira do espaço, a viagem com Shatner foi também uma ação de marketing custeada pelo próprio Jeff Bezos. Ao desembarcar de volta na Terra, o ator foi recebido por Bezos e relatou que a experiência foi “indescritível”. Ele ainda agradeceu ao bilionário pelo convite de conhecer o espaço, afirmando que foi sua “mais importante e profunda experiência”.

    “Todo mundo precisa fazer isso, todo mundo precisa ver. Foi inacreditável!”

    William Shatner

    Ator após voo suborbital da Blue Origin

    Outros três tripulantes embarcaram com o ator: Audrey Powers, vice-presidente de missão e operações da Blue Origin; Chris Boshuize, ex-engenheiro da Nasa e cofundador da Planet Labs, uma empresa de satélites; e Glen de Vries, vice-presidente da Dassault Systèmes e um dos fundadores da Medidata, as duas empresas de software.

    A nave foi lançada ao espaço da base da Blue Origin no estado do Texas, nos EUA, às 11h30 (hora de Brasília). A missão inteira, que durou cerca de doze minutos, teve voo suborbital — um tipo em que a espaçonave viaja além da atmosfera terrestre, cruzando o limite considerado pela Nasa (agência espacial americana) como o “início” do espaço, a 100 km de altitude.

    Por não atingir velocidade suficiente para permanecer acima da atmosfera e alcançar a órbita da Terra, a espaçonave “cai” de volta no planeta. Esse tipo de voo tem sido usado por bilionários para promover o turismo espacial. As aeronaves da Virgin Galactic, fundada pelo britânico Richard Branson, também realizam o voo suborbital em suas viagens espaciais.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.