Mainardi acusa operadora de tentar ocultar causa da morte do seu pai

Publicitário morreu por complicações causadas pela covid-19 e esteve internado no mesmo hospital da Prevent Senior em que os prontuários do médico Anthony Wong e de Regina Hang, mãe de Luciano Hang, teriam sido fraudados

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O jornalista Diogo Mainardi acusou a operadora de saúde Prevent Senior de tentar ocultar a causa da morte de seu pai. O publicitário Enio Mainardi morreu em agosto de 2020 por complicações causadas pela covid-19.

Em coluna publicada na revista Crusoé na sexta-feira (24), Mainardi comparou o que aconteceu com seu pai aos casos do médico Anthony Wong e de Regina Hang, mãe do empresário Luciano Hang, que foram internados por covid-19 em um hospital da Prevent Senior, mas tiveram a doença omitida de seus prontuários médicos.

Assim como meu pai, eles morreram de covid. Assim como meu pai, eles estavam internados no hospital Sancta Maggiore. Assim como meu pai, houve a tentativa de ocultar a causa de suas mortes”, escreveu o jornalista. Suspeitas de que a Prevent Senior usou pacientes como cobaias em estudos, fraudou dados de mortes por covid-19 e pressionou médicos a prescreverem remédios ineficazes contra a doença deram novo fôlego à CPI da Covid no Senado.

Mainardi disse que não comentou o assunto antes para evitar que o nome de seu pai “fosse novamente conspurcado pelos bolsonaristas”, que, segundo ele, “abarrotaram as redes sociais com mentiras, negando que [Enio Mainardi] houvesse morrido de covid”. Ele afirma ainda que a médica bolsonarista Nise Yamaguchi, que foi responsável pelo tratamento de Anthony Wong segundo apuração da revista Piauí, “encarregou-se pessoalmente de espalhar falsidades” sobre a morte de Enio Mainardi em grupos de WhatsApp.

A CPI da Covid ainda precisa esclarecer se a omissão da covid entre as mortes era uma prática generalizada pela Prevent Senior. Em depoimento aos senadores, na quarta-feira (22), o diretor-executivo da operadora, Pedro Benedito Batista, reconheceu que havia uma orientação interna para que a covid-19 fosse retirada do diagnóstico dos pacientes depois de algumas semanas. Em nota publicada pelo portal G1, a Prevent Senior reafirma nunca ter escondido ou subnotificado óbitos.

Continue no tema

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.