Reino Unido anuncia vistos temporários por falta de mão de obra

Medida vem na esteira de semanas de desabastecimento gerado pela escassez de caminhoneiros. Defendido pelo governo de Boris Johnson para fechar fronteiras, Brexit é apontado como uma das causas do deficit de trabalhadores

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O governo britânico vai conceder 10.500 vistos de trabalho temporários para mitigar a escassez de mão de obra que afeta setores importantes da economia. A permissão é destinada especificamente a trabalhadores do transporte e do setor avícola. Eles poderão permanecer no Reino Unido por três meses, entre outubro e dezembro de 2021.

    A concessão dos vistos, anunciada pelo governo no sábado (25), foi recebida com surpresa, já que o primeiro-ministro Boris Johson se elegeu com um discurso avesso à imigração e a favor do Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia, justamente para fechar a fronteira a imigrantes e refugiados.

    A gravidade da situação, no entanto, ajuda a explicar a medida. A falta de caminhoneiros tem provocado desabastecimento em supermercados, redes de fast food e postos de gasolina. No domingo (26) havia relatos de filas longas para abastecer carros em diversos pontos de Londres, já que os britânicos temem um agravamento da situação.

    O secretário de Transportes, Grant Shapps, disse à BBC que os vistos temporários fazem parte de um grande pacote pensado pelo governo para lidar com o desabastecimento. A intenção é atrair motoristas de outros países da União Europeia, que podem ter deixado o Reino Unido depois da aprovação do Brexit. Em paralelo, outras medidas serão adotadas, como a liberação de milhares de libras pelo Ministério da Educação para formação de 4 mil caminhoneiros.

    Além do êxodo provocado pela saída da União Europeia, a associação Logistics UK também atribui a falta de profissionais do transporte a outros fatores, como má remuneração, mudanças fiscais, o envelhecimento populacional e os impactos da pandemia. A estimativa do governo é que o Reino Unido sofre atualmente com a falta de 100 mil caminhoneiros. Diante de um deficit tão grande, a concessão dos 10 mil vistos não foi recebida com tanto entusiasmo por alguns órgãos e associações do setor. A Câmara de Comércio Britânica disse que a medida era como jogar um dedal de água na fogueira”.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.