Luciano Hang financiou blogueiro Allan dos Santos, aponta CPI

Mensagens obtidas por senadores e reveladas por emissora de TV indicam que contato foi intermediado por Eduardo Bolsonaro. Comunicador é investigado em inquéritos sobre disseminação de fake news e ameaças a autoridades

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, investigado em dois inquéritos do Supremo que apuram a disseminação de fake news e ameaças a autoridades, foi financiado pelo empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, segundo documentos obtidos pela CPI da Covid no Senado, que indicam ainda que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi responsável por intermediar o contato entre os dois. A informação foi divulgada na noite de sexta-feira (24) pelo Jornal Nacional, da TV Globo.

    A CPI da Covid teve acesso a mensagens enviadas por Allan dos Santos e interceptadas pela Polícia Federal. Em setembro, a ministra do Supremo Rosa Weber manteve a quebra de sigilos telefônico, telemático, bancário e fiscal do blogueiro, que é dono do canal Terça Livre. Nas mensagens trocadas com Eduardo Bolsonaro em janeiro de 2019, Allan dos Santos pede que o deputado o coloque em contato com Hang, declarado apoiador do presidente Jair Bolsonaro.

    A troca de mensagens indica que Eduardo intermediou a conversa, apresentando o blogueiro ao empresário. Ele disse que você pode entrar em contato com ele. Falei que você é o nosso cara da imprensa para um projeto que desenvolvemos aqui nesta semana de aulas com o Olavo”, disse o deputado em uma das mensagens, em referência ao ideólogo do bolsonarismo Olavo de Carvalho. Quatro meses depois, Allan dos Santos voltou a escrever para Eduardo afirmando que Luciano Hang estava dentro” e patrocinaria o programa.

    Em entrevista ao Jornal Nacional, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Covid, disse que a comissão identificou a existência de uma verdadeira organização criminosa de fake news que teve papel determinante no agravamento da pandemia”. O início dessa articulação, no entanto, teria começado antes da crise sanitária, em meados de 2019 – de quando datam as mensagens de Allan dos Santos.

    A CPI da Covid no Senado passou a investigar a disseminação de fake news no início de agosto. O objetivo é mapear e investigar perfis que disseminaram notícias falsas envolvendo o tratamento precoce ineficaz contra a covid, o que segundo Rodrigues contribuiu para o agravamento da pandemia. Na quarta-feira (29), está marcado o depoimento do empresário Luciano Hang na comissão. Sobre as mensagens reveladas pelo Jornal Nacional nesta sexta (24), Hang afirmou tratar-se de uma narrativa absurda”. Allan dos Santos e Eduardo Bolsonaro não se pronunciaram à Rede Globo.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.