Lewandowski suspende ações da Lava Jato contra Lula no DF

Processos sobre doações da Odebrecht e imóveis em São Bernardo haviam sido transferidos de Curitiba após o Supremo considerar Moro suspeito

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu na terça-feira (14) o andamento das últimas investigações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Operação Lava Jato. A decisão tem caráter liminar.

    Os dois processos apuram doações da construtora Odebrecht ao Instituto Lula e a compra de um apartamento e um terreno em São Bernardo do Campo para servir de sede do instituto. Ambas investigações haviam sido transferidas em abril para o Distrito Federal após o Supremo considerar a 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba incompetente para julgar processos do ex-presidente.

    A decisão de Lewandowski – que partiu de um pedido da defesa de Lula – significa que as investigações não poderão ser retomadas e não poderão aproveitar materiais de outras apurações contra Lula no âmbito da Operação Lava Jato. Ou seja, para serem considerados legais, os processos terão que recomeçar do zero.

    Em março de 2021, a corte determinou que o juiz Sergio Moro – ministro da Justiça de Jair Bolsonaro entre janeiro de 2019 e abril de 2020foi parcial ao avaliar os casos de Lula. A decisão foi ratificada pelo tribunal em junho. O Supremo ainda vai decidir se as investigações contra o petista serão arquivadas em definitivo ou se poderão continuar, com novas diligências, a partir dos procedimentos já abertos.

    Com a anulação de condenações e provas contra Lula, o ex-presidente se tornou novamente elegível, após ter sido preso e ficado de fora das eleições de 2018. No início do segundo semestre de 2021 – a pouco mais de um ano do pleito de 2022 –, ele lidera as pesquisas eleitorais contra o presidente Jair Bolsonaro.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.