Cidades brasileiras celebram o Dia da Mulher Negra

Data instituída em 1992 objetiva dar visibilidade às lutas das mulheres negras contra a opressão de gênero, exploração e o racismo. Diferentes partes do país contam com programação especial

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Comemora-se neste domingo (25) o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Instituída em 1992 durante o 1º Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas, na República Dominicana, a data objetiva dar visibilidade às lutas das mulheres negras contra a opressão de gênero, a exploração e o racismo.

    No Brasil, o dia também homenageia, desde 2014, Tereza de Benguela, que liderou o Quilombo de Quariterê. Conhecida como “rainha do Quariterê", Benguela assumiu a frente do quilombo, localizado onde hoje está o estado de Mato Grosso, após a morte de seu marido José Piolho. Quariterê resistiu até meados da década de 1770, quando foi atacado e desmontado por autoridades da Coroa portuguesa. Estima-se que cerca de 300 pessoas, incluindo também índios e mestiços, viviam no quilombo na época de sua destruição.

    Os objetivos da data comemorativa ganham ainda mais importância na pandemia. Um estudo publicado recentemente pela FEA-USP (Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo) mostrou que o aumento da pobreza e da extrema pobreza no Brasil durante a emergência sanitária reproduziu as desigualdades raciais e de gênero que já existiam antes da pandemia. Em 2021, mesmo com o auxílio emergencial, 38% das mulheres negras estão abaixo da linha da pobreza. A extrema pobreza atinge 12,3% dessa população.

    Diversas cidades brasileiras contam com programação especial para celebrar a data. No sábado (24), ocorreu no Distrito Federal o “I Julho das Pretas que Escrevem no DF”, que saudou e apresentou algumas escritoras negros da capital do país. Em São Paulo, a prefeitura promoveu, nas estações do metrô que integram a Linha da Cultura, a exposição fotográfica ‘Mulheres Negras, Conquistas e Perspectivas’, em homenagem a 17 mulheres negras que dedicam suas vidas à luta por mais representatividade.

    No sul do país, o Teatro de Arena de Porto Alegre sedia o evento “Mulher Negra na Arena 2021”. Entre atrações presenciais e virtuais, o teatro promoverá debates, exibições de vídeos e performances realizados até o dia 30.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.