Líder de seita sexual terá que pagar US$ 3,4 milhões a vítimas

Keith Raniere, fundador da organização NXIVM, já havia sido condenado a uma pena de 120 anos de prisão

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Keith Raniere, o líder da organização NXIVM, uma seita que escravizou sexualmente dezenas de mulheres nos EUA, foi condenado a pagar US$ 3,4 milhões a 21 vítimas. A decisão foi tomada pela Justiça americana na terça-feira (20). Desde 2019, Raniere cumpre uma pena de 120 anos de cadeia por crimes como tráfico sexual e extorsão.

    Segundo o juiz Nicholas Garaufis, do Tribunal Federal do Brooklyn, em Nova York, cerca de 100 pessoas protocolaram pedidos de indenizações sob sigilo, de modo a proteger a identidade dos envolvidos.

    Garaufis determinou que 17 delas irão ser indenizadas com base na Lei de Proteção às Vítimas de Tráfico, que se aplica a crimes de trabalho forçado, tráfico sexual e quando há uma exigência de servidão com uso de documentos, como fotos e vídeos.

    Outras quatro pessoas se encaixam na Lei de Restituição Obrigatória de Vítimas, aplicada a crimes de extorsão, conspiração de extorsão e conspiração por fraude eletrônica.

    O funcionamento da seita NXIVM foi detalhado na série documental “The Vow”, produzida pela HBO. A produção mostra ex-integrantes que contam como Raniere atraía seguidores tendo como base um discurso positivo e de autoajuda. Artistas buscando maior destaque no mrcado formavam um dos principais perfis da seita. A atriz Allison Mack, que ficou conhecida pelo seriado de televisão "Smallville", foi uma das participantes e acabou condenada a três anos de prisão por seu envolvimento.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.