Moraes manda inquérito contra Salles para Justiça do Pará

Investigação apura a participação do ex-ministro em um suposto esquema de facilitação de contrabando de madeira

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, decidiu enviar nesta terça-feira (20) para a Justiça Federal do Pará o inquérito que apura um suposto esquema de facilitação de contrabando de madeira. Um dos alvos da investigação é o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles.

Moraes atendeu a um pedido da Polícia Federal após Salles ter perdido o foro privilegiado quando deixou de ser ministro do governo Bolsonaro. A investigação desencadeou a operação Akuanduba — batizada em referência a uma divindade do povo indígena Araras, do Pará —, que desde janeiro apura supostas exportações ilegais de madeira para a Europa e para os Estados Unidos.

No início do julho, outro inquérito contra Salles, relatado pela ministra Cármen Lúcia, foi enviado para o Tribunal Regional Federal da Primeira Região. O caso trata de suspeita de obstrução do ex-ministro de investigações da maior apreensão de madeira ilegal realizada pela Polícia Federal no país. A mesma Cármen Lúcia determinou, no fim de junho, que Salles entregasse seu passaporte à PF.

Integrante da ala mais radical do bolsonarismo, o ex-ministro disse em uma reunião no Palácio do Planalto em 22 de abril de 2020 que era preciso aproveitar o foco da imprensa na pandemia de covid-19 para “passar a boiada”. Salles se referia a adoção de medidas de desregulamentação na área ambiental e em outros setores do governo que não precisassem de aprovação do Congresso.

Continue no tema

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.