Haiti nomeia novo premiê após assassinato de presidente

Ariel Henry, ex-ministro do Interior, assumiu com o desafio de facilitar as eleições no país. Pleito foi marcado para setembro

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O neurocirurgião e ex-ministro do Interior do Haiti Ariel Henry, de 71 anos, foi nomeado como o novo primeiro-ministro do país, na terça-feira (20). Sua posse, em cerimônia realizada na capital Porto Príncipe, ocorreu quase duas semanas após o presidente Jovenel Moïse ter sido assassinado dentro de casa, na madrugada de 7 de julho.

    Henry havia sido indicado para o cargo de primeiro-ministro pelo próprio Moïse dois dias antes de sua morte, mas a nomeação oficial não havia sido formalizada. Ele assumiu o cargo pedindo um minuto de silêncio pelo presidente assassinado. As investigações apontam que o crime teve a participação de mais de 20 pessoas, sendo a maioria delas mercenários colombianos.

    O Haiti tem tido dificuldades para controlar a ação de gangues violentas que vêm causando desordem no país. O novo primeiro-ministro disse em seu discurso de posse ser um “democrata” que “pode falar com todos os setores da vida nacional”. “Devemos restaurar a confiança e a autoridade do Estado nos quatro cantos do país. Todos reconhecem que são os haitianos que devem encontrar a solução para a crise”, afirmou.

    O antecessor, agora ex-primeiro-ministro Claude Joseph, disse durante a cerimônia que a indicação de Henry tem a intenção de facilitar as eleições, realizadas pela última vez no Haiti em 2016. Ele também alertou para a difícil tarefa que seu sucessor tem pela frente.

    Henry prometeu criar as condições para que o maior número de pessoas consiga votar nas eleições marcadas para setembro. “É um momento para união e estabilidade”, declarou. Segundo ele, o governo precisa restaurar a ordem e a segurança e fortalecer a economia debilitada pelo crime e pela pandemia do novo coronavírus.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.