Enem tem o menor número de inscritos em 14 anos

Edição do exame em 2020 ficou marcada pela abstenção recorde em meio à pandemia de covid-19

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Temas

    O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2021 registrou o menor número de inscritos desde 2007, aponta um levantamento do portal G1. De acordo com o Ministério da Educação, 4.004.764 pessoas se inscreveram para fazer o exame nesta edição. Em 2007, ano com a participação mais baixa, foram 3,57 milhões de inscritos.

    O número final de participantes em 2021, no entanto, pode ser ainda menor. O dado só estará disponível depois de serem processados os pagamentos das taxas de inscrição, no valor de R$ 85. O prazo para o pagamento vai até segunda-feira (19).

    O Enem 2020 ficou marcado pela abstenção recorde nos dois dias de aplicação. O exame ocorreu em 17 e 24 de janeiro de 2021, após adiamento das datas iniciais (22 e 29 de novembro de 2020) devido à pandemia de covid-19. No segundo dia de provas, 55,3% dos 5,2 milhões de inscritos não compareceram. Além da preocupação com a covid-19 e do despreparo após meses de escolas fechadas e aulas a distância, alguns estudantes relataram ter sido barrados na entrada da prova devido à superlotação de salas.

    A aplicação de provas no formato digital, testada pela primeira vez no Enem 2020, entre 31 de janeiro e 7 de fevereiro, teve abstenção de 71,3% no segundo dia do exame — mais de 66 mil dos 93 mil inscritos faltaram. Apesar dos números, o Ministério da Educação não apresentou mudanças na nova edição. Estão mantida a exigência de uso de máscara para candidatos e aplicadores, como precaução na pandemia. Em 2021, 3.903.664 pessoas se inscreveram para a versão impressa e 101.100 para a versão digital.

    O Enem é considerado a principal porta de entrada para o ensino superior no país por permitir o ingresso em diversas universidades, tanto públicas quanto privadas, além de oferecer possibilidade de aquisição de bolsas por meio dos programas Prouni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Financiamento Estudantil).

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.