Chuva provoca enchentes, destrói casas e mata 42 na Alemanha

As inundações de 2021 são as mais letais no país em quase 20 anos. Temporais também causaram mortes na Bélgica

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Pelo menos 42 pessoas morreram na Alemanha e dezenas estão desaparecidas depois que chuvas recordes fizeram rios transbordarem, destruindo casas e inundando áreas urbanas, informou a polícia nesta quinta-feira (15). As enchentes de 2021 são as mais letais no país em quase 20 anos. As piores inundações do século tinham sido antes registradas em 2002, quando 21 pessoas morreram no leste da Alemanha e mais de 100 em toda a Europa Central.

    A chanceler alemã Angela Merkel manifestou seu pesar. “Estou chocada com a catástrofe que muitas pessoas nas áreas inundadas têm de enfrentar. Minha simpatia vai para as famílias dos mortos e desaparecidos”, disse.

    Armin Laschet, premiê do Estado da Renânia do Norte-Vestfália — duramente atingido pelas enchentes — e candidato conservador à sucessão de Merkel na eleição geral marcada para setembro, culpou os eventos climáticos extremos e o aquecimento global. “Vamos enfrentar eventos deste tipo de novo e de novo, e isso significa que precisamos acelerar as medidas de proteção ao clima, nos níveis europeu, federal e global, porque o clima não fica confinado a um Estado”, afirmou.

    O país acionou centenas de soldados para auxiliar a polícia com tanques em operações para liberar estradas atingidas por deslizamentos de terra e árvores caídas. Helicópteros foram utilizados para resgatar pessoas ilhadas em telhados.

    As enchentes também provocaram mortes na Bélgica, onde dois homens perderam a vida devido à chuva torrencial e uma menina de 15 anos está desaparecida desde que foi arrastada por um rio que transbordou. A chuva ainda causou transtornos graves no transporte público — os serviços de trem de alta velocidade Thalys, que levam à Alemanha, foram cancelados. A circulação de barcos no rio Meuse também foi suspensa, já que a importante rota fluvial belga ameaça transbordar.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.