Incêndios voltam a atingir Pantanal após onda de fogo em 2020

Especialistas afirmam que crise hídrica e baixa umidade na região podem levar a nova série de queimadas. Chamas destruíram 28% do bioma no último ano

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Focos de incêndio voltaram a se espalhar pelo Pantanal sul-matogrossense entre sábado (10) e domingo (11), menos de um ano depois de o bioma ter perdido mais de um quinto de sua vegetação para uma onda recorde de fogo em 2020. Segundo reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, as chamas consumiram mais de 30 km² no fim de semana.

    A região mais atingida foi a de Banhado do Rio da Prata, onde fica a cidade de Bonito (MS). Além de destruir a vegetação, os focos de incêndio mataram animais, relataram o portal G1 e O Estado de S.Paulo. A falta de chuvas em 2021 e a baixa umidade do ar favorecem a propagação do fogo.

    Cerca de 100 bombeiros estão no Pantanal para combater os incêndios. Ao G1, o secretário de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, disse que pediu apoio ao governo federal, mas não teve retorno.

    Especialistas apontam que, depois do estrago em 2020, o Pantanal corre o risco de ter incêndios ainda piores em 2021. Com a crise hídrica, o bioma tem passado por uma nova estiagem antes de se recuperar do impacto do fogo em 2020.

    28%

    da área do Pantanal foi afetada por incêndios em 2020, segundo o Instituto SOS Pantanal

    Embora a seca facilite a expansão dos incêndios no Pantanal, os focos registrados em 2020 não tiveram causas naturais. Estudo de abril de 2021 dos Ministérios Públicos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul mostra que quase 60% dos incêndios do ano anterior foram provocados por ação humana.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.