Alemanha proíbe de vez plásticos descartáveis no país

Lei aprovada em 2020 entra em vigor, e alemães não encontrarão mais pratos, copos, talheres ou cotonetes feitos com o material

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Uma lei que que proíbe a comercialização de produtos descartáveis de plástico entrou em vigor neste sábado (3) na Alemanha. A proposta foi aprovada em setembro de 2020 e, por causa dela, os alemães não encontrarão talheres, copos, pratos e até cotonetes de plástico disponíveis no cmércio. Embalagens de alimentos fabricadas em poliestireno, o isopor, também ficam proibidas.

A proibição só não se estende para alguns itens que não possuem um substitutivo tão simples de ser implementado, como os lenços umedecidos ou os absorventes internos. Esses produtos devem levar apenas um aviso no rótulo alertando os consumidores sobre os riscos que o plástico representa para o meio ambiente.

A decisão não é isolada na Europa, e segue, na verdade, uma diretriz da União Europeia aprovada em 2019, que propôs o banimento gradual do plástico descartável. Nos últimos dois anos, diversos países tem se mobilizado para aplicar a orientação, e a Grécia chegou a proibir os recipientes de plástico descartável de suas repartições públicas.

O mundo tem experimentado uma redução na produção de plástico durante a pandemia, que no ano passado caiu em 0,3% em relação a 2019. Foi a terceira queda desde o início da era industrial, mas as projeções a longo prazo não são tão otimistas. A associação de proteção animal WWF alerta que a quantidade de plástico presente nos oceanos pode dobrar até 2030.

300 milhões de toneladas

é quantidade de plástico nos oceanos que o planeta deve atingir até 2030, segundo estimativas da WWF

Até na Europa, onde vários países se mobilizam para reverter esse quadro, alguns problemas permanecem sem solução. Os cigarros com filtro de plástico, que não foram inclusos na proibição da Alemanha, são um dos grandes vilões do meio ambiente no continente europeu, e representam 40% do lixo plástico da União Europeia. Embora os ambientalistas defendam uma medida mais radical, como tornar esses filtros de plástico ilegais, por enquanto o bloco optou por exigir dos produtores um alerta na embalagem voltado à conscientização de quem compra o produto.

Continue no tema

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.