7 resoluções para fortalecer um relacionamento em 2021

Psicólogo americano reúne estudos que apontam caminhos para namoros ou casamentos mais saudáveis

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O novo ano vai ser melhor. Tem que ser melhor. Talvez você seja um dos 74% de americanos que disseram em uma pesquisa que planejam apertar o botão de “reset” e melhorar no dia 1º de janeiro. As resoluções de Ano Novo geralmente falam de comer de forma mais saudável, exercitar-se, perder peso e ser uma pessoa melhor.

Certamente são objetivos admiráveis. Mas se concentrar no seu corpo e na sua mente negligencia outra coisa tão importante quanto eles: seu relacionamento amoroso. Casais que vivem casamentos melhores registram índices mais altos de bem-estar, e um estudo recente mostrou que ter um relacionamento melhor não só traz mais bem-estar e saúde agora, como estende esses benefícios para o futuro.

A lição é clara: seu relacionamento é importante. Resolva acertá-lo.

Isso não quer dizer que você tem que ser perfeito. Mas aqui estão sete resoluções baseadas em pesquisas recentes na área de psicologia que você pode fazer neste Ano Novo para ajudar a manter seu relacionamento forte.

Prepare-se para o sucesso

Eduque sua mentalidade para que você veja seu relacionamento como uma fonte importante de experiências positivas. Psicólogos como eu chamam isso de adotar um comportamento proativo. Em vez de apenas tentar evitar problemas na relação, as pessoas proativas buscam o que é positivo e o usam para ajudar o relacionamento.

Assim: imagine uma conversa com seu parceiro. Ter uma atitude proativa permite que você tenha foco em sentimentos positivos enquanto conversa e veja seu parceiro responder melhor a você. Seu parceiro recebe também uma explosão de positividade, e em troca você responde melhor a ele. As boas vibrações de um parceiro transbordam para o outro, o que beneficia ambos. Depois de um ano em que seu relacionamento deve ter passado por tensões externas sem precedentes, estabelecer as bases para tirar proveito daquilo que é positivo é um bom ponto de partida.

Seja otimista

Mesmo que as coisas no passado nem sempre tenham saído da forma como você queria, é importante ser otimista com o futuro. Ter o tipo certo de otimismo. Um estudo de 2020 de Krystan Farnish e Lisa Neff mostrou que ver o lado bom da vida de modo geral fez com que os participantes da pesquisa lidassem com conflitos no relacionamento de forma mais eficaz — eram melhores em “deixar pra lá”, segundo a pesquisa — do que aqueles que eram otimistas especificamente no caso da relação.

A impressão é de que, se as pessoas depositam todas as expectativas otimistas apenas em seu relacionamento, elas tendem a acreditar que terão poucas experiências negativas com o parceiro. Como essa expectativa é irreal mesmo nas melhores relações, ela leva as pessoas à desilusão.

Seja mais flexível

Tente seguir o fluxo. Em outras palavras, tente aceitar seus sentimentos sem ficar na defensiva. É normal adaptar seus hábitos — você não precisa sempre fazer as coisas do jeito como sempre fez ou ir aos lugares aos quais sempre vai. Pare de ser teimoso e experimente ser flexível.

Um estudo recente de Karen Twiselton e seus colegas descobriu que, quando você é psicologicamente mais flexível, a qualidade de suas relações é maior, em parte porque você vive mais emoções positivas e menos as negativas. Por exemplo, navegar pelo desafio anual dos feriados e das tradições familiares é um campo minado para um relacionamento. Mas, se ambos os parceiros se afastarem da mentalidade da “obrigação” em favor de uma atitude mais disposta a se adaptar, a harmonia da relação será maior.

Está tudo bem em colocar o ‘eu’ antes do ‘nós’

É fácil para algumas pessoas bancar o mártir abnegado dentro de um relacionamento amoroso. Se essa descrição se parece com você, tente se concentrar mais em si mesmo. Isso não te faz uma má pessoa ou um parceiro ruim. Quando você está psicologicamente saudável, seu parceiro e seu relacionamento também se beneficiam.

Uma pesquisa recente identificou quatro características principais que fazem parte de uma boa saúde mental: abertura para os sentimentos, receptividade, emoções positivas e franqueza. Essas características te ajudam a ter mais clareza sobre quem você é, se sentir melhor sobre si mesmo, expressar mais otimismo e menos agressividade, abusar menos dos outros e exibir menos comportamentos antissociais. Você pode perceber como o que é bom para você, neste caso, pode também ser bom para seu parceiro.

Faça algo por seu parceiro

Mas nem tudo é sobre você. Colocar seu parceiro em primeiro lugar algumas vezes e atender a seus desejos faz parte do que é ser um casal. Um estudo de 2020 de Johanna Peetz e seus colegas descobriu que priorizar seu parceiro faz com que você se sinta mais próximo dele, alimenta sentimentos positivos, reduz os negativos e aumenta a percepção da qualidade do relacionamento.

Neste novo ano, procure maneiras de dar algumas vitórias a seu parceiro. Deixe que ele faça o que quer de vez em quando e apoie-o no que ele deseja fazer, sem priorizar exclusivamente seus próprios desejos e necessidades.

Não seja tão duro consigo mesmo

Muitas resoluções de Ano Novo estão relacionadas à imagem corporal. Aspirações para comer melhor e se exercitar com frequência buscam o mesmo objetivo: um corpo mais atraente. Apesar disso, uma pesquisa de Xue Lei mostra que você talvez não saiba realmente como seu parceiro quer que seja sua aparência.

Mulheres tendem a superestimar quão magras seus parceiros querem que elas sejam. Da mesma forma, homens acreditam que suas parceiras querem que eles sejam mais musculosos do que as mulheres dizem querer. Pode parecer inofensivo, mas em ambos os casos as pessoas são mais críticas e exigentes consigo mesmas, em parte por causa de uma interpretação errada do que o parceiro realmente deseja.

Mantenha contato físico

Deixei o item mais fácil desta lista por último: toque mais seu parceiro. Quando Cheryl Carmichael e seus colegas acompanharam 115 participantes de um estudo durante dez dias, eles descobriram que dar e receber toques — coisas como dar as mãos, abraçar, beijar — estava associado ao aumento da intimidade e da qualidade do relacionamento para ambos os parceiros. Mais importante, ser tocado por seu companheiro tem o benefício adicional de fazer com que você se sinta mais compreendido e validado. Quem não precisa disso neste ano?

Gary W. Lewandowski Jr. é professor de psicologia na Monmouth University.

A seção `Externo` traz uma seleção de artigos e ensaios cedidos por veículos nacionais e internacionais. Textos publicados originalmente em outros idiomas têm tradução do Nexo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.