Ir direto ao conteúdo

Como desacelerar a pandemia de coronavírus

A melhor das hipóteses sugere que 40 milhões de adultos nos EUA podem ser infectados pelo covid-19. Mas um epidemiologista explica por que não é hora de desistir

Algo entre 20% e 60% dos adultos no mundo podem estar infectados com o novo coronavírus Sars-Cov-2, o vírus que causa a doença covid-19. Essa é a estimativa de especialistas em epidemiologia sobre as dinâmicas de doenças contagiosas. Mesmo o melhor dos casos usando esses números indica que aproximadamente 40 milhões de adultos serão infectados apenas nos EUA.

Algumas pessoas podem começar a se sentir fatalistas por causa desse tipo de estatística. Não existem vacinas ou tratamentos específicos para pessoas que ficam doentes. Para que combater algo que vai acontecer de qualquer forma? Por que não deixar a epidemia simplesmente seguir o seu caminho?

Mas autoridades de saúde pública e profissionais de saúde têm defendido esforços rápidos e decisivos para reduzir a transmissão do Sars-Cov-2 o mais rápido e mais cedo possível.

O objetivo é “achatar a curva”. Em vez de deixar o vírus causar tumulto na população e se acabar mais rapidamente, a ideia é espalhar essas infecções em um período de tempo maior.

gráfico mostra curvas de números de infecções pelo coronavírus com e sem medidas de proteção

Sim, isso prolongaria potencialmente a epidemia, mas ao fazer isso, as agências de saúde pública e e a infraestrutura de saúde ganham um tempo valioso para responder à crise.

Mais importante, achatar a curva cria uma oportunidade de reduzir significativamente as mortes por covid-19.

Na ascensão abrupta da curva epidêmica, especialmente quando a capacidade de testes é deficiente, há uma enorme carga sobre profissionais de saúde - muitos dos quais ficarão doentes e serão forçados ao isolamento, impossibilitados de fornecer os cuidados àqueles que precisam. Ao mesmo tempo, há uma pressão imensa sobre os estabelecimentos de saúde onde a demanda por atenção ao paciente vai superar a capacidade - número de leitos hospitalares, respiradores - por um período de tempo significativo.

Então, sim. Mesmo que todas as pessoas da Terra eventualmente peguem a covid-19, existem benefícios reais de garantir que tudo isso não ocorra nas próximas semanas.

Como, então, as pessoas podem achatar a curva, reduzindo a transmissão do coronavírus? Atualmente, com muitas regiões dos EUA e outros países vendo membros da comunidade espalhando covid-19 localmente, o mundo entrou em uma fase de mitigação para complementar os esforços para conter a disseminação da doença.

Assim, nos resta uma estratégia antiga, mas bastante eficaz: distanciamento social. Isso significa ficar sem contato próximo em aglomerações, evitar grandes reuniões e manter distância - aproximadamente dois metros - entre você e os outros sempre que possível.

Distanciamento requer mudanças em como as pessoas trabalham, vivem, e interagem umas com as outras. Isso pode significar cancelar ou evitar grandes eventos, limitar viagens que não sejam essenciais, e remarcar reuniões. As dinâmicas tradicionais em sala de aula podem ser obrigadas a mudar para o digital - o que já está acontecendo em algumas instituições de ensino, embora seja mais difícil no caso de escolas do ensino básico.

Para ser claro, o distanciamento social implica em um custo econômico substancial, já que as pessoas não estão engajadas nas mesmas atividades de trabalho e vida que alimentam a economia como estavam um ou dois meses atrás. Assim, autoridades e oficiais de saúde pública enfrentam o desafio de equilibrar a demanda de saúde para achatar a curva com os desejos de minimizar os impactos econômicos.

Conforme a pandemia de covid-19 avança, especialistas em saúde pública no mundo todo estão coletando dados e divulgando informações o mais rápido possível, em um esforço para dar aos profissionais de saúde, laboratórios de pesquisa, agências de saúde pública e formuladores de políticas o conhecimento que eles precisam para responder à ameaça emergente. Nesse meio tempo, uma das coisas mais importantes que os indivíduos podem fazer pela saúde coletiva é ouvir os especialistas e seguir seus conselhos.

O diretor geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom, comentou recentemente que “precisamos lembrar que com ações decisivas precoces, nós podemos retardar o vírus e prevenir infecções.” Nós não vamos eliminar a covid-19. Mas ao não desistir, as pessoas podem ajudar a solucionar a crise mais cedo, impedindo que a doença sobrecarregue a capacidade dos sistemas de saúde.

Matthew McQueen é diretor do programa de saúde pública e professor associado de psicoterapia integrativa da universidade do Colorado em Boulder.

A seção `Externo` traz uma seleção de artigos e ensaios cedidos por veículos nacionais e internacionais. Textos publicados originalmente em outros idiomas têm tradução do Nexo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.