Ir direto ao conteúdo

Por que as pessoas usam fotos de casal no perfil das redes sociais

Psicólogas sociais investigaram o que motiva demonstrações românticas online e como elas são interpretadas por outros

Conforme você olha a linha do tempo do Facebook, você vê: seu amigo atualizou a foto de perfil. Mas ao invés de uma foto só do seu amigo, é uma foto de casal. “Por que alguém escolheria isso como foto de perfil?”, você indaga.

Somos pesquisadoras de psicologia interessadas em entender o comportamento das pessoas em relacionamentos e nas redes sociais. Nossa pesquisa e de outros acadêmicos traz ideias sobre por que as pessoas usam esses tipos de demonstrações de “sou parte de um casal!” nas redes sociais.

Escolher fotos de perfil que incluam parceiros românticos, postar seu status de relacionamento e mencionar parceiros nas suas atualizações podem ser sinais de como as pessoas se sentem nas suas relações – e podem mandar uma mensagem importante para potenciais rivais.

Quem faz isso?

O que nós, psicólogos sociais, chamamos de demonstrações diádicas são relativamente comuns.

Em um estudo recente que conduzimos, 29% dos usuários do Facebook envolvidos em relacionamentos amorosos tinham uma foto de casal como foto de perfil. 70% tinha um status de relacionamento diádico publicado – como “em um relacionamento” ou “casado”. E os participantes mencionavam seus parceiros românticos em 15% das suas atualizações recentes.

Algumas pessoas são mais propensas a usar essas demonstrações diádicas do que outras. Pessoas que estão muito satisfeitas ou são muito comprometidas com as suas relações românticas são mais propensas a postar fotos de casal como foto de perfil ou a representar seus relacionamentos nas redes sociais de outras formas. Quanto mais apaixonada uma pessoa comprometida é, e quanto mais ciúmes ela reporta sentir, o mais propensa a postar sobre seu relacionamento publicamente no Facebook ela é.

Pessoas que têm um estilo de apego ansioso – que se preocupam com o risco de seus parceiros rejeitarem-nas ou abandonarem-nas – também são mais propensas a usar uma foto de perfil diádica e a postar status de relacionamento diádicos no Facebook. Por outro lado, pessoas com um estilo de apego evitativo – que se sentem desconfortáveis dependendo de outros e que priorizam a manutenção da sua independência – dificilmente exibirão seu relacionamento dessas formas.

A forma como uma pessoa salienta seu status romântico também pode mudar de acordo com como ela se sente em um determinado momento. As pessoas são mais propensas a postar informações relevantes sobre o relacionamento no Facebook em dias em que se sentem mais inseguras do que o normal sobre os sentimentos dos seus parceiros e em dias em que se sentem mais satisfeitas com os seus relacionamentos.

Por que exibir o relacionamento dessa forma?

Uma possível razão, proposta por outros acadêmicos, é que essas demonstrações representam fielmente como muitas pessoas comprometidas se veem.

Pessoas em relacionamentos muitas vezes incluem seus parceiros no seu autoconceito. Elas veem seus parceiros como elas mesmas. As pessoas, então, podem exibir seus relacionamentos nas redes sociais porque fazer isso representa como elas veem a si mesmas: entrelaçadas aos seus parceiros.

Nossa pesquisa recente com 236 usuários adultos do Facebook que estão em relacionamentos românticos corroborou essa ideia. Descobrimos que pessoas – especialmente aquelas muito satisfeitas com seus relacionamentos – usam demonstrações diádicas parcialmente porque veem seus parceiros como parte do que são.

Também encontramos outra razão mais estratégica pela qual as pessoas fazem essas demonstrações: elas estão motivadas a proteger seus relacionamentos de ameaças que existem nas redes sociais. Usar o Facebook, o Twitter e outras redes sociais expõe as pessoas a uma variedade de potenciais ameaças aos seus relacionamentos, incluindo ex-parceiros, parceiros alternativos com quem eles poderiam começar um relacionamento, e rivais românticos que poderiam tentar roubar seus namorados atuais.

Fora das redes sociais, as pesquisas demonstram que pessoas comprometidas exercem uma série de comportamentos para proteger seus relacionamentos de ameaças colocadas por parceiros alternativos e rivais. Mencionar o parceiro ou o relacionamento é uma forma de afastar esses possíveis encrenqueiros.

Descobrimos que as pessoas mais motivadas a proteger seus relacionamentos desse tipo de ameaça eram mais propensas a utilizar demonstrações diádicas. Querer preservar a coisa boa que está acontecendo era uma razão pela qual pessoas satisfeitas e dedicadas eram particularmente propensas a incluir seus parceiros nos seus perfis em redes sociais.

Outros pesquisadores descobriram que algumas pessoas incluem parceiros e relacionamentos nos seus perfis porque ter outras pessoas sabendo que elas estão comprometidas impulsiona a sua autoestima. Sentir-se bem consigo mesmo é uma razão pela qual pessoas de apego ansioso querem que seus amigos do Facebook saibam que elas estão comprometidas, e pessoas de apego evitativo não.

Como outras pessoas interpretam essas demonstrações?

Interessantemente, os espectadores tendem a formar ideias razoavelmente precisas sobre outros com base nos seus perfis e postagens em redes sociais.

Em experimentos, pesquisadores manipularam perfis em redes sociais para investigar as consequências de anunciar seus relacionamentos dessa forma.

Postar fotos de casal e usar outras demonstrações diádicas leva as pessoas a perceberem o dono do perfil como mais amável e mais propenso a estar em um relacionamento satisfatório e engajante.

Essas demonstrações diádicas não só comunicam comprometimento, mas também sugerem que o dono do perfil é pouco propenso a receber investidas românticas de outras pessoas. Isso pode desencorajar outras pessoas de tentarem se aproximar, potencialmente protegendo o relacionamento.

Se você nunca fez isso, pode parecer surpreendente que as pessoas possam escolher uma foto de casal como foto de perfil. Mas essa escolha tem o potencial de produzir resultados positivos para a pessoa e o seu relacionamento.

Amanda L. Forest é professora assistente de psicologia da Universidade de Pittsburgh

Kori Krueger é doutoranda em psicologia pela Universidade de Pittsburgh

A seção `Externo` traz uma seleção de artigos e ensaios cedidos por veículos nacionais e internacionais. Textos publicados originalmente em outros idiomas têm tradução do Nexo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.