Por que o governo americano quer barrar a fusão de editoras

Junção da Penguin com concorrente Simon & Schuster é alvo de processo movido pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos

    Começou na terça-feira (2) o julgamento de uma ação movida pelo Departamento de Justiça americano contra as editoras Penguin Random House e Simon & Schuster, as duas maiores publicadoras de livros dos Estados Unidos.

    A ação é motivada pelo desejo da Penguin em comprar a Simon & Schuster. O argumento do Departamento de Justiça é de que a transação prejudicaria a livre competição. No primeiro dia de julgamento, até mesmo o escritor Stephen King, autor de “O Iluminado”, prestou depoimento, se posicionando contra a fusão.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.