‘Renaissance’: a nostalgia pela dança no novo álbum de Beyoncé

Com disco que remete à sonoridade dos anos 60 e 70, cantora aposta em estratégia de lançamento convencional para seu sétimo trabalho

    Temas

    Beyoncé lançou “Renaissance” nesta sexta-feira (29). É o primeiro álbum solo da cantora em seis anos. O último foi “Lemonade”, em 2016, e ela fez uma parceria com o marido, Jay-Z, no disco “Everything is Love”, em 2018.

    Em “Renaissance”, seu sétimo trabalho solo, Beyoncé fala sobre a cultura negra americana e sobre a comunidade LGBTI+ – o disco, inclusive, é dedicado a seu tio Johnny, homem gay que foi vitimado por complicações do vírus HIV e que é considerado pela cantora como seu “mentor artístico.”

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.