Como a ciência discute a possibilidade de robôs sencientes

Suspensão de engenheiro do Google reacendeu debate sobre a capacidade de inteligências artificiais adquirirem consciência. Cenário não foi atingido, mas gera alertas entre especialistas

    Foi notícia ao redor do mundo: o Google suspendeu um de seus engenheiros após ele publicar um texto e dar entrevista ao jornal Washington Post dizendo que uma das inteligências artificiais da empresa tinha se tornado senciente, ou seja, consciente de si mesmo.

    Blake Lemoine, de 41 anos – sete deles trabalhando na gigante de tecnologia – escreveu o artigo baseado em pesquisas internas com o software. Após testar reações do programa, o engenheiro sugeriu que a tecnologia é capaz de elaborar respostas com base em modelos de linguagem avançados, e que disse “ser reconhecido como funcionário do Google, e não como uma propriedade”, algo que ele considerou como prova da suposta consciência da máquina, mas que especialistas na área discordam.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.