3 boatos verificados esta semana para você ficar de olho

O ‘Nexo’ integra o Comprova, coalizão de 42 veículos jornalísticos que busca combater a desinformação

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

As redes sociais são um importante meio de comunicação para cidadãos e governos, ao divulgar e esclarecer assuntos de interesse público. Mas nelas também se proliferam posts, imagens e vídeos fabricados, manipulados ou retirados de contexto que podem causar danos. É um ambiente em que conteúdos podem ser disseminados rapidamente, sem preocupações com fonte ou veracidade.

Para combater a desinformação nas redes surgiu o Comprova, do qual o Nexo faz parte. A iniciativa, que teve início em 2018, está agora em seu quinto ano e conta com a colaboração de 40 veículos de comunicação para monitorar e verificar conteúdos suspeitos sobre políticas públicas do governo federal, a pandemia de covid-19, e as eleições de 2022.

O Nexo resume, abaixo, três verificações feitas pelo Comprova na semana que passou. Confira:

Mortes no esporte não têm relação com vacinação contra covid-19

Um tuíte conecta a vacinação contra o coronavírus ao aumento do número de mortes por mal súbito entre atletas. O conteúdo da publicação diz que essa foi a causa dos óbitos de 673 esportistas no período de 16 meses.

No entanto, esse dado é enganoso. Em uma nota técnica de janeiro de 2022, a SBMEE (Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte) disse que apesar de alguns episódios levantarem a possibilidade de associação entre mal súbito e a imunização contra a covid-19, esses casos “são muito raros e insuficientes para sustentar uma consistente relação de causalidade”.

Ainda, Marcelo Leitão, cardiologista e diretor científico da SBMEE, disse ao Comprova que não há nenhum dado estatístico oficial que indique que o número de mortes súbitas de atletas tenha subido de janeiro de 2021 a abril de 2022.

Até o dia 13 de junho, a publicação original, feita em francês, e a sua versão traduzida para o português, tiveram, juntas, mais de 9.000 interações no Twitter. A verificação foi realizada pelo Estado de S. Paulo e Rádio BandNews FM, e foi validada por outros veículos. Veja a verificação na íntegra.

Vídeo sobre pesquisas eleitorais foi feito por humorista

Um vídeo publicado pelo deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ) circula no Facebook, no Twitter e no Instagram. Na gravação, um entrevistador, interpretado por um humorista, pergunta a intenção de voto de um homem. Ao ouvir que ele pretende votar em Jair Bolsonaro (PL), o entrevistador afirma: “Pronto, mas como o senhor tem cara de quem vota em Lula, eu vou botar o senhor como quem vota em Lula aqui”.

A publicação do deputado federal engana ao tirar de contexto um vídeo feito com a intenção de ironizar pesquisas eleitorais. Jordy publicou o conteúdo como se tratasse de um evento real, com a legenda “Olha o DataPovo indignado com o Datafolha kkkk”, em referência ao instituto do Grupo Folha que realiza pesquisas eleitorais.

Nos comentários do post, os seguidores de Carlos Jordy demonstram acreditar que o vídeo mostra, de fato, a interação de uma pesquisa verídica. Um deles diz: “Não tem jeito, se Bolsonaro não for reeleito no primeiro turno, fraudaram as urnas”. O político, em nenhum momento, esclarece que o conteúdo foi retirado de um perfil de humor. Procurado pela equipe do Comprova, Jordy não respondeu ao contato.

Até o dia 10 de junho, a postagem teve 177 visualizações no Facebook. A verificação foi realizada pela Folha de S.Paulo e Portal Norte de Notícias, e foi validada por outros veículos. Veja a verificação na íntegra.

Manifestação contra Lula aconteceu em 2018, não em 2022

Um vídeo publicado no TikTok mostra a passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pela cidade de Bagé, no interior do Rio Grande do Sul. Durante a visita, o petista foi hostilizado por manifestantes.

Apesar da gravação ser, de fato, verdadeira, a data do registro é omitida pelo autor do post. O momento filmado aconteceu em março de 2018, quando Lula fazia uma caravana por diversos municípios brasileiros. Por não citar a data dos protestos, o vídeo insinua que a manifestação contrária a Lula tenha acontecido recentemente.

Essa impressão é reforçada pelos comentários da postagem. Em um deles, um usuário do TikTok comenta: "Não era ele que estava na frente das pesquisas?”.

Até o dia 9 de junho, a publicação enganosa reuniu mais de 4.000 curtidas, 695 comentários e quase 2.000 compartilhamentos. A verificação foi realizada por CBN Cuiabá, Metrópoles e Correio de Carajás, e foi validada por outros veículos. Veja a verificação na íntegra.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.