O que falta para o governo Bolsonaro privatizar a Eletrobras

Tribunal de Contas da União aprova capitalização da maior empresa do setor elétrico brasileiro. O ‘Nexo’ mostra quais etapas precisam ser cumpridas para que o setor privado passe a ter o controle da estatal

O TCU (Tribunal de Contas da União) aprovou nesta quarta-feira (18) o processo de privatização da Eletrobras. A medida, que foi publicada pelo governo em fevereiro de 2021 e chancelada pelo Congresso em junho daquele ano, ainda precisa passar por etapas como auditorias independentes e precificação antes de ser executada.

Segundo o blog do jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o governo quer concluir a venda em 9 de junho, embora a janela para a operação esteja aberta até meados de agosto. O repasse da gigante do setor elétrico brasileiro à iniciativa privada se encaminha para ser a maior privatização do governo de Jair Bolsonaro, eleito em 2018 sob a bandeira da agenda liberal do ministro da Economia, Paulo Guedes. Bolsonaro tentará a reeleição em outubro, num cenário econômico conturbado.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.