A lei britânica que quer deportar imigrantes para Ruanda

Governo de Boris Johnson aprova no Parlamento norma que prevê mandar para o país africano estrangeiros de qualquer nacionalidade que tenham pedido de asilo recusado. ONGs contestam medida na Justiça

    O Parlamento britânico aprovou no dia 28 de abril um ato normativo para deportar imigrantes ilegais de qualquer nacionalidade para Ruanda. O governo do país africano, situado a mais de 6.000 km de distância do Reino Unido, aceitou uma oferta equivalente a quase US$ 160 milhões (R$ 820 milhões em 12 de maio) para receber essas pessoas.

    A medida segue uma lógica de “controle remoto”, que prevê o processamento de casos de imigrantes em situação irregular longe das fronteiras britânicas. Eventuais recursos e reclamações do deportado são analisados quando a pessoa já está fora do continente. Parlamentares de oposição temem que lacunas do texto permitam a deportação indiscriminada, o que pode afetar direitos, por exemplo, de vítimas de guerras como a da Ucrânia.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.