Como foi o 1º de maio que levou oposição e bolsonaristas às ruas

Dia do Trabalhador tem eventos esvaziados em várias capitais. Bolsonaro faz aparições rápidas em atos com ataques a STF, e Lula fala contra presidente em palco de centrais sindicais

    A cinco meses da eleição presidencial, o domingo de 1º de maio foi marcado por atos que levaram às ruas de várias capitais, em eventos sem público expressivo, a disputa eleitoral pelo Palácio do Planalto, que se concentra entre o presidente Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera pesquisas de intenção de voto.

    A data, em que se celebra o Dia do Trabalhador, é tradicionalmente usada por centrais sindicais para promover manifestações reivindicando melhores condições de trabalho. Em 2022, bolsonaristas também convocaram atos a favor do governo e contra o Judiciário, em eventos que contaram com aparições breves do presidente.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.