Qual a diferença entre corredor humanitário e remoção forçada

Civis retirados do conflito não podem ser forçados a sair de suas terras, nem levados para países onde estejam em risco, segundo especialista em direito internacional ouvido pelo ‘Nexo’

    Negociadores russos e ucranianos tentam desde quinta-feira (3) acertar um cessar-fogo pontual, em algumas regiões da Ucrânia, para a formação de corredores humanitários que permitam a retirada de civis das zonas de guerra. As primeiras tentativas de colocar em prática o acordo fracassaram no sábado (5) e no domingo (6).

    Depois, a Rússia ofereceu um caminho de evacuação que levaria a população apenas para áreas sob seu controle, proposta imediatamente rechaçada pela Ucrânia. Na noite de segunda-feira (7), um novo plano foi apresentado pelos invasores. Nele, além de destinos sob controle russo, foram incluídas áreas dentro da própria Ucrânia onde não há confrontos.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.