Chuvas intensas e onda de calor: o que explica o clima no Brasil

Bahia e Minas Gerais enfrentam precipitações acima da média, enquanto Rio Grande do Sul passa por estiagem. Ao ‘Nexo’ especialistas detalham os fenômenos meteorológicos causadores dos eventos extremos 

    Os últimos meses de 2021 e o início de 2022 no Brasil vêm sendo marcados por um alto volume de chuvas, que afeta mais seriamente Minas Gerais e Bahia e já se espalha por outras regiões do país. Nos dois estados, as inundações, deslizamentos e outros problemas fizeram dezenas de milhares de pessoas deixarem suas casas e causaram 49 mortes, de acordo com a Defesa Civil. O número não inclui os 10 óbitos da tragédia em Capitólio (MG), quando uma rocha de grandes dimensões se desprendeu no Lago de Furnas e atingiu no sábado (8) lanchas de turistas que visitavam o local.

    As precipitações alcançaram níveis históricos, sobretudo na Bahia, onde o acumulado em dezembro, de acordo com dados do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramentos e Alertas de Desastres Naturais), ultrapassou os 700 mm, quando o normal para a época é de 150 mm. Os temporais não são o único fenômeno climático atípico que atinge o Brasil no início de 2022. Nos próximos dias, uma onda de calor na América do Sul, que afeta a Argentina, o Uruguai e o Paraguai chegará ao Rio Grande do Sul. As temperaturas devem chegar a 43°C. São 5°C acima da média, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), que emitiu um aviso de perigo para 216 municípios.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.