CPI da Covid: o que o Ministério Público já fez com o relatório

Distribuído em novembro para procuradorias pelo Brasil, o relatório dos senadores fundamenta apurações preliminares. No Distrito Federal, 12 frentes de investigação foram propostas

    Mais de dois meses após a entrega do relatório final da CPI da Covid, começa a vir a público como o Ministério Público avança no caso, para que as provas colhidas pela comissão parlamentar resultem em ações judiciais. Na terça-feira (4), a Procuradoria da República no Distrito Federal informou à imprensa que relatou em dezembro ao Senado ter aberto 12 frentes para avaliar o material.

    Outras unidades do Ministério Público Federal, assim como Ministérios Públicos Estaduais, também receberam o relatório no final de 2021. A distribuição descentralizada, feita diretamente dos senadores para as procuradorias e promotorias do país, foi uma estratégia da CPI para driblar o procurador-geral da República, que é quem normalmente ficaria encarregado de redistribuir o documento do Congresso. Aras é visto pelos parlamentares como um aliado do presidente Jair Bolsonaro, disposto a blindar o mandatário e aliados.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.