A queda das doações no decorrer da pandemia no Brasil 

Após um boom no início da crise sanitária, volume de dinheiro destinado aos mais vulneráveis diminuiu. Entidade ligada ao combate à fome diz que recursos são insuficientes diante de uma demanda crescente

    O volume de doações privadas a fim de aplacar os efeitos da pandemia de covid-19 não se sustentou no Brasil. Após o boom no trimestre iniciado em abril de 2020, impulsionado por iniciativas como a do banco Itaú, que destinou R$ 1 bilhão para ações na crise, o repasse de dinheiro privado aos mais vulneráveis perdeu fôlego, segundo a ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos).

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.