Quando opositores de Bolsonaro se perdem numa teia de boatos

Repercussão de episódio de autoritarismo presidencial foi tomada por rumor de cunho homofóbico que se espalhou nas redes sociais mesmo sem ter base em fatos comprováveis

    A expressão “noivinha do Aristides” foi um dos temas mais comentados das redes sociais na segunda-feira (29). O termo faz referência a um boato recheado de desinformação que se propagou principalmente entre opositores do presidente Jair Bolsonaro.

    O episódio teve como centro uma atitude autoritária do presidente – mandar prender uma mulher de 40 anos que o xingou à beira da rodovia Presidente Dutra no sábado (27). Mas, nas redes sociais, a repercussão ao caso foi tomada por uma discussão com traços homofóbicos e sem base em fatos comprováveis.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.