Como a realidade derruba o mito de um Bope ‘incorruptível’

Agentes de tropa de elite da Polícia Militar do Rio de Janeiro são acusados por moradores de tortura, roubo de dinheiro e de terem feito churrasco durante ação que terminou com corpos deixados em mangue

    Os indícios de violações e abusos durante uma operação policial no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, no fim de semana de 20 e 21 de novembro, têm gerado questionamentos sobre a atuação do Bope (Batalhão de Operações Especiais) no episódio que resultou na morte de dez pessoas, sendo um policial. Oito corpos abandonados num mangue foram retirados do local pelos moradores.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.