O que muda com a sanção da Lei Mariana Ferrer

Texto é motivado por caso de influenciadora digital que teve a vida pessoal exposta por um advogado num processo em que acusava um empresário de estupro

    O presidente Jair Bolsonaro sancionou na segunda-feira (22) a chamada Lei Mari Ferrer, que obriga juízes, promotores e advogados a zelar pela integridade física e psicológica da vítima e de testemunhas em casos de crimes contra a dignidade sexual.

    O projeto é inspirado no caso da influenciadora digital Mariana Ferrer, que em 2020 disse ter sido estuprada pelo empresário André de Camargo Aranha, que acabou absolvido. No julgamento, ela teve sua vida pessoal exposta pelo advogado de Aranha. O caso repercutiu na opinião pública.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.