O fórum de Gilmar Mendes em Lisboa e as relações de poder no Brasil

Um constitucionalista e um cientista político falam sobre o tradicional evento anual do instituto ligado ao ministro do Supremo, com presença de autoridades e parte das passagens pagas com dinheiro público

    Criado com o objetivo de “debater grandes questões do direito no Estado contemporâneo, a partir do diálogo entre os sistemas jurídicos português e brasileiro”, o Fórum Jurídico de Lisboa teve sua 9ª edição realizada entre 15 e 17 de novembro. O evento tem como principal organizador o IDP (Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa), uma instituição educacional privada brasileira que tem o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, como sócio.

    O encontro, também organizado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e pela Fundação Getulio Vargas, costuma reunir autoridades e nomes de expressão da política e do Judiciário do Brasil. A recente edição teve as presenças de ministros do governo Bolsonaro, do TCU (Tribunal de Contas da União) e do Supremo, de parlamentares e de dirigentes de agências reguladoras que foram a Portugal.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.