Rodrigo Pacheco: a carta do PSD de Kassab para 2022

Presidente do Senado muda de partido, cogita disputa ao Palácio do Planalto, mas ainda levanta dúvidas. Cientistas políticos ouvidos pelo ‘Nexo’ falam sobre a viabilidade de uma eventual candidatura

    O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, deixou o DEM e se filiou na quarta-feira (27) ao PSD. O partido é comandado pelo ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, que diz apostar no senador para disputar a Presidência da República em 2022. A ideia foi reafirmada na cerimônia de filiação. Ele será o nosso candidato, disse Kassab.

    O próprio Pacheco evitou anunciar sua pré-candidatura e disse que não queria antecipar qualquer discussão político-eleitoral, mas analistas apontaram que ele adotou um “tom de candidato”. O senador citou temas que vê como desafios do país, pregou a “retomada do diálogo” e fez críticas à polarização política. Ele integra a chamada “terceira via” para 2022.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.