Como o teto de gastos limita o Auxílio Brasil de Bolsonaro

Presidente quer benefício mensal de R$ 400, mas anúncio é adiado após reação negativa do mercado e resistência de Guedes. Fim do auxílio emergencial se aproxima, com inflação acelerando e fome em alta

    O governo de Jair Bolsonaro adiou o anúncio dos valores do Auxílio Brasil, que estava previsto para terça-feira (19) – não há uma nova data para o evento. O presidente quer um benefício médio de R$ 400, com uma parte sendo bancada por fora do teto de gastos – regra que limita as despesas da União a um nível pré-determinado.

    O Auxílio Brasil, que irá substituir o Bolsa Família e suceder o auxílio emergencial adotado na pandemia de covid-19, é uma promessa antiga de Bolsonaro. Ele aposta na ampliação de benefícios sociais para dar impulso ao seu projeto de reeleição em 2022. Mas ideia de passar parte do Auxílio Brasil por fora do teto de gastos desagradou a agentes do mercado. Na terça-feira (19), o dia foi de queda na bolsa de valores e alta do dólar.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.